sábado, 22 de novembro de 2008

Mudando de assunto..


É, mudando o rumo do blog, após uma semana postando sobre mitos folclóricos, fiquei sem saber o que escrever por aqui...
Então, como estou em casa por conta do Dia da Consciência Verde¹ que é feriado em ALGUNS municípios aqui de Braza-Bela, resolvi falar sobre isso.
Pois é, mais um feriadão para Braza-Belenseses privilegiados. hahaha sim, poucos puderam "emendar", "fazer ponte" enfim, juntar tudo e só voltar à correria Segunda-Feira. :DD
Então... antes, quer dizer, até 3 dias atrás pensava que o tal feriado seria Nacional, mas tal qual não foi minha surpresa quando soube que era apenas para alguns municípios...
Seria pq existem mais pessoas verdes em alguns lugares do que em outros? Bom, quanto a isso eu não sei, mas segundo nosso excelentíssimo presidente pode haver a possibilidade de transformá-lo em nacional. ^^ Então, vc que se sentiu prejudicado por ter ido trabalhar enquanto várias pessoas acordaram tarde bem no meio da semana, reze para que o presidente torne MAIS UM feriado nacional. Se bem que isso não é tão difícil. Sim! Pq quando o assunto é feriado... em Braza-Bela nunca é demais. :)
Bom, voltando ao assunto... vc, pessoa bem informada que acordou tarde em plena Quinta-Feira sabe pq ficou em casa? Não, não era o dia do Índio nem aquecimento para carnaval. Era o dia da Consciência Verde, meu caro! Hã? mas vc é laranja? rosa? azul? roxo? vermelho? Ora, Braza-Bela é uma sociedade que surgiu a partir desta diversidade de raças e deve muito aos verdes, logo, todos têm que comemorar esse dia, ou vc vai querer ser rotulado de preconceituoso, racista? Pois é...
Mas dai surge uma dúvida: se os verdes têm seu dia, qual será o dia dos outros? Pq os de cores diferentes tbm não têm seus dias? Poxa, deveriam ser direitos iguais, não é? Imaginem quantos feriados poderiam ser criados! :D Mas, andei pensando que esse feriado serviria para o seguinte: como os verdes são aqueles que se acham mais "vulneráveis" perante a sociedade, precisam disto para se auto-reafirmarem e assim ter uma "brecha" para gritarem: "estamos aqui!"
É, talvez seja isso...
Mas, mesmo assim ainda não entendo, pois podem conseguir melhorar de vida como qualquer outro homem/mulher, sem se escorar na imagem de vítima, pois esse tempo já passou.
Enfim, acho que essa Conscientização que o dia verde propõe só será eficaz realmente no dia em que todas as pessoas verdes se aceitarem e assim não será comemorado só o dia da consciência verde, mas de todas as outras raças: vermelha, rosa, azul... sem distinção, sem preconceitos, sem ignorância.


3 comentários:

marcus disse...

Pois bem, eu acho que o dia verde só acontece, por que muitas pessoas não gostam da cor verde, nem tão pouco respeitam.Se formos pensar em uma aula de história, lá da 8º série, me responda, quem trabalhavanos engenhos, nas lavouras de café e por ai vai...lá depois do descobrimento?
E inda mais, depois que foram libertos, os pobres dos verdes não tiveram vez, e foram obrigados a ir para rua, e a roubar... quem é mesmo aquele sociologo que diz que o homem é produto do meio??
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Eu tenho cá meus contras, contra alguns verdes e na minha cidade não há muitos... porem eu os respeito.
Talvez o país fosse melhor se o governo soubesse que eles são gente assim como os amarelos(que tem sempre a culpa, por ter aquilo pequeno...).
Mas hey, cara palida, tudo tem seus prós e contras...como eu adoro dizer:tudo é relativo!!!

Jorge Lucas disse...

Acho importante a celebracao da consciencia negra, pórem o debate sobre opressao de cor deveria ser substituido por o de opressao de classe.

Mário Júnior disse...

Estou totalmente de acordo com o comentário do Jorge Lucas (inclusive cheguei até aqui através do blog dele!).
A questão da opressão não está fundada a partir da opressão por etnia/raça/cor-da-pele/crença-religiosa. A opressão se funda a partir do momento em que a sociabilidade se divide em classes sociais (após o surgimento da sociedade escravocrata) e perdurará enquanto tal divisão se mantiver.
No mais, a celebração do Dia da Consciência Negra tem se vulgarizado em significado. Aqui em Alagoas, por exemplo, Zumbi virou ícone de bajulação/benefício político das oligarquias dominantes, que detém o poder político no Estado, e se utilização da data para benefício e propaganda política pessoal. Ou seja: os algozes de Zumbi hoje usam sua imagem para posar - ao lado dela - como heróis.
Postei em meu blog, no dia 20, um exerto de um livro que mostrava que o Quilombo dos Palmares, antes de ser um foco de resistência dos escravos, era uma comunidade de iguais, onde não existia apropriação do trabalho do outro (exploração do homem pelo homem) ou classes sociais em seu interior. Isso tudo, pela historiografia conservadora, vem sendo velado.